De Consumidores a Discípulos

De Consumidores a Discípulos

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE ADMINISTRAÇÂO

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE LIDERANÇA

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE ENSINO

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE EXORTAÇÃO

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE PROFETA

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE CONTRIBUIR / REPARTIR

QUEM É VOCÊ NO CORPO DE CRISTO - O DOM ESPIRITUAL DE MISERIÓRDIA

Quem é Você no Corpo de Cristo - O Dom Espiritual de Ajuda ou Socorro

Quem é Você no Corpo de Cristo - O Dom Espiritual do Serviço ou Ministério

Quem é Você no Corpo de Cristo - Quais os Resultados do Exercício dos Dons Espiriuais

Quem é Você no Corpo de Cristo - O Que São Dons Espirituais

Quem é Você no Corpo de Cristo - Introdução - A Vontade de Deus para Cada Um

IGREJA Projeto de Deus

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Espiritualidade no Trabalho

Devemos atentar para o fato de as empresas estarem descobrindo o quão importante é a espiritualidade para a vida, para as pessoas e, por extensão, acabam por ser importantes para as empresas.

Espiritualidade nem sempre está vinculada a religião, e sim com o bem estar espiritual e que, pessoas com forte espiritualidade são mais equilibradas, têm melhor qualidade de vida, estão mais bem preparadas para os percalços, tem melhor controle de saúde, sofrem menos as conseqüências do stress e por conta disso acabam por terem melhor desempenho no trabalho e melhor rendimento.

O que se deve levar em consideração é que uma empresa não pode impor a seus colaboradores um padrão de religião ou induzi-los a adotarem alguma crença, ainda mais que este não é o foco das empresas. O foco da espiritualidade no trabalho é a busca de estados mais elevados de consciência e o alinhamento das ações das pessoas, das equipes e das organizações com seus propósitos e missões de vida.

Ao se trabalhar a questão da espiritualidade nas empresas, o que se tem em mente é o atingimento de patamares mais elevados de qualidade de vida coletiva, o que só se consegue ao promover a melhoria de vida individual. Esse trabalho é feito com o estímulo a situações de crescimento e desenvolvimento individual e coletivo, o incentivo do sentido de cooperativismo e parceria, criatividade, cooperação e trabalho em equipe.

Cada indivíduo traz consigo um conjunto de valores e conhecimentos que vão sendo adquiridos paulatinamente com a formação e experiência, desenvolvendo uma fonte de sabedoria que é acessada quando da necessidade de tomada de decisões em momentos difíceis. Quando esses valores são respeitados este indivíduo que é um colaborador passa a ser parte integrante da organização. Se o trabalho é orientado para além do senso individual leva os indivíduos a experimentarem seu significado produzindo satisfação no trabalho.

Creio que as Igrejas precisam abrir os olhos a esta necessidade patente, já observada por grandes empresários e consultores de empresas, e parar de vivenciar um cristianismo incubado. Ao que parece, muitos crentes têm se julgado tão bons que acreditam não poderem se misturar.

A igreja precisa desesperadamente cumprir o seu papel de orientar aos crentes quanto a necessidade de trabalhar bem, com qualidade, de acordo com a justiça e respeitando as leis, respeitando ao próximo, demonstrando em todos os seus atos um profundo amor a Deus, servindo a todos quantos necessitam de um enlevo espiritual. Com estas atitudes se contribui para santificar o mundo a partir de cada indivíduo inserido nos mais diversos contextos e para tornar o Evangelho presente em todas as atividades, tanto nas que parecem mais brilhantes como nas mais humildes e escondidas, pois todas são nobres diante do Senhor. Jesus nos ensina essa questão de valores do Reino, conforme podemos ver no Evangelho de Mateus 18:1-4: "Naquela hora, aproximaram-se de Jesus os discípulos, perguntando: Quem é, porventura, o maior no reino dos céus? E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus." A humildade é uma grande virtude a ser aprendida e exercitada, pois a humildade revela inteligência, nobreza de alma e superioridade de espírito, boa formação de caráter e um conceito melhor do que é a vida aos olhos de Deus.

Uma vez que se tem melhor entendimento do que é a vida aos olhos de Deus, saberemos que o importante é amá-Lo sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. O homem precisa aprender a se alegrar com o trabalho, pois ele é instrumento de Deus para nos abençoar. A Bíblia assim nos diz em Salmos 128.1-4 “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos. Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz será, e te irá bem. A tua mulher será como a videira frutífera, no interior da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira, ao redor da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor.”

Um comentário:

Pr. Walderson Júnior disse...

Quero ser espiritual!
Abração santo homem de Deus!